Google+

Ho, Ho, Ho !!! Não, Não, Não !!!

Enquanto muitas empresas enfrentam o período de feriado com (algum) alívio, as empresas ocidentais que trabalham na China veem o final do ano como o início de um período de dois meses de potencial interrupção e prazos perdidos.

A tempestade perfeita de caos começa por volta do terceiro trimestre, quando fabricantes e exportadores chineses começam a aumentar e processar a grande onda de encomendas para a temporada de férias no Ocidente (embora isso não afete fabricantes de bens industriais quase tanto como a produção de bens de consumo).

Para muitos fabricantes industriais de médio porte e OEMs o desafio começa desde... agora.

Em primeiro lugar, o efeito do Natal. Isto combina pessoas ocidentais com bases permanentes na China que retornam à casa para as férias e muitas empresas ocidentais entrando em um desligamento de férias por até duas semanas. Como a China continua a ser substancialmente aberta para negócios durante as próximas semanas (pausa de três dias para Natal e Ano Novo) isso deixa muitas operações e projetos para os gestores e parceiros chineses.

Isso, por si só, seria um problema menor se não fosse por outro grande acontecimento para o mundo - Ano Novo Chinês em meados de fevereiro.

A título de exemplo, o "problema do feriado" tipicamente se manifesta da seguinte maneira: a empresa chinesa que enfrentava questões operacionais com empresas ocidentais, que precisavam ser resolvidas antes do Natal não são tratadas, ou surgem novas questões, e um alerta laranja em meados de dezembro se torna em um alerta vermelho no início de janeiro.

Feliz Ano Novo, tudo de novo.

Corrigir problemas ou atrasos é sempre um desafio, mas agora em meados de janeiro cada escritório de negócios e de governo na China estão a apenas três semanas da maior paralisação e migração humana no mundo (você acha que viajar durante o carnaval é ruim - tente se estapear por um lugar para se sentar com mais de 1,4 bilhão de outras pessoas!)

Ao contrário do Natal no Ocidente, onde os e-mails ou chamadas ainda podem obter resposta, na China o negócio fica literalmente obscuro.

Assim, quaisquer problemas que tenham ganhado impulso em dezembro serão, na melhor das hipóteses, tratados no período de caos do Pré-Ano Novo Chinês. Bem vindo de volta !!

Como a China tem mudado ao longo dos anos e a simetria com o Ocidente melhorou drasticamente, o "problema do feriado" é tratado dependendo de alguns fatores e deve ser definitivamente considerado como um problema compartilhado. Os fatores atenuantes incluem:

 - Antecipação: você e seus parceiros chineses sabem que todo o calendário vai mudar, mas uma correção em janeiro é tarde demais.

- Planejamento: É tarde em novembro/dezembro? Tente agosto/setembro e você estará à frente do jogo. Resolva as questões mais difíceis que precisam de mais tempo antes do final do ano, caso contrário, eles podem muito bem virar metástase março.

- Ordem de agendamento: Usando parceiros chineses como fornecedores Just In Time é sempre uma proposta arriscada, ainda mais nesta época do ano. Comece a construir estoque de segurança no 3º trimestre e revise em março.

- Comunicação: Descubra os horários de férias e viagem de todo o pessoal-chave em ambos os lados da operação. Certifique-se de que outros membros da equipe verificam as mensagens e instruções, sempre que possível, e se têm pré-determinado sobre o que fazer se algo acontecer.

- Cuidado com o pão, não apenas o hamburger: Há uma tendência para as férias na China começarem dias ou mesmo semanas antes das datas oficiais. E o pior em voltar é que você pode não ser a maior prioridade no primeiro dia em que o trabalho recomeçar. Sugerimos uma interrupção dos negócios de 3 semanas para o feriado do Ano Novo Chinês.

Se observar essas regras, você com certeza diminuirá o impacto dessa paralisação.

Fonte: CBN